Aos amigos.

Aos amigos.

Amar é sentir a sensibilidade de uma flor..

Amar é sentir a sensibilidade de uma flor..
Amar é sentir a sensibilidade de uma flor.

30 de novembro de 2015

Véu d'alma- reeditando.


Véus que libertam minh'alma,transportam-se fora do meu corpo seguindo caminhos em duelos,como liberdade de um sopro.
Acalmam-se nesse espaço e libertam-se.
Neutralizam-se evaporando-se como o ar que respiro.
Um alívio atinge entranhas,percorrendo com suavidade novos caminhos em busca da realidade.
Sem lágrimas,abrem-se para serem libertos e quando os retiro 
se descobertos,revestem-se e acalmam-se.

Para pensar!!
Carmen Lúcia-imagem Google.





27 de novembro de 2015

Sinfonia das águas.


Vivo essa alegria,por estar envolta na sinfonia das águas vindas das encostas.
Trago o perfume guardado,e asperjo no ar,para que sobrevoe o mar,e caia banhando as frontes em sutil leveza vinda da fonte.
Inspiro-me nessa imensidão,deixando meu corpo saltear em sopro a gratidão em poder levitar sobre a areia,pisando sobre pedras,e quebrando a inércia de ficar inerte,recebendo esse bálsamo caído sobre o cântico das ondas e aspergindo aromas no mar. 
Não há fragas e nem rochedos,para represar o perfume,e assim...será levemente depositado em peles para àqueles que desejam amar e sentir  sutilezas que aderem.

"Obrigada a todos os amigos pelos cumprimentos ao meu Prazer de Escrever e que eu possa continuar com minhas mãos rabiscar algumas prosas,para doar aos que desejam saborear palavras de amor".

Recebam esses perfumes aspergidos,
como bálsamos docilmente saídos do mar em sinfonia das águas,chegando à beira-mar.

Carmen Lúcia-Imagem-Google.

26 de novembro de 2015

Feliz aniversário ao meu Prazer de Escrever.


Amigos,mais uma vez estou aqui para dizer que hoje é o aniversário do meu Prazer de Escrever.
São quatro anos de alegrias e prazerosos contatos com todos que aqui estiveram durante esses anos.
Muitos já não fazem parte da minha lista de seguidores,não por não gostarem,mas por terem escolhidos outros caminhos.
O Prazer de Escrever começou exatamente no dia 26 de Novembro de 2011,muito tímido e com poucas palavras,talvez transmitindo o que sou na verdade.
Mas...aos poucos foi conquistando amigos e 
tornou-se grandioso para mim,pois transcrevo o que sinto através das inspirações de minh'alma.
Alguns fatos são verídicos,outros fictícios, porem levam a todos alguns momentos de amor em cada frase que posto.
Hoje possuo 425 seguidores,1.496 postagens e
14.303 comentários.
Além do blog,tenho uma 
fan-page,com 4.633 curtidas.

Para todos com carinho:

"Minh'alma sempre deixa magias,para serem lidas em momentos de alegrias."

Reitero o Prazer de Escrever em cada verso,deixando suaves aromas das flores colhidas.
Os jardins que visitam esse espaço de amor,aqui encontram borboletas sorrindo em voos rasantes,tocando com suas asas todos os visitantes.
Meus rios correm em águas cristalinas e deságuam nas marés. 
Meu barco segue repleto de amigos vindos de longe,ancorando aqui e também em alguns Igarapés.
E a descida é sobre o sol dourado,aquecendo todos os enamorados.
A minha lua está sempre presente ao anoitecer,mas...logo cedo da passagem aos pássaros para anunciarem um novo amanhecer.
E assim,todos percorrem seus olhares por entrelinhas,as palavras deixadas com carinhos e sem simetrias.
Levam amor em prosas poéticas,mesmo não constando métricas.
Não são poesias,talvez...poemas com aberturas em fantasias...sem heresias!

Esse é o meu imenso e absoluto

"Prazer de Escrever"

Obrigada a todos os amigos e aceitem um pedaço de bolo,adoçado com o néctar do amor junto ao mimo de um ramalhete de flor.

Amo todos vocês.
Beijos.

Carmen Lúcia-Imagens-Google.






25 de novembro de 2015

Frases de amor,no silêncio de um olhar.




As mais belas frases de amor,são ditas no silêncio de um olhar.
Paulo Coelho.

"Sim,no silêncio de um olhar estão frases que desejamos ouvi-las e para isso temos que 
senti-las,procurando-as com profundidade e confiança
  em cada olhar de quem amamos".

Carmen Lúcia-Imagem-Google.

24 de novembro de 2015

Perdida no balançar das águas do mar.

Tantas vezes me perdi nesse mar de desejos,tantas vezes afundei nas águas e não pensava mais emergir,mas junto a ti e dos teus ardorosos beijos,preferi continuar perdida nesse flutuar e esperar tuas palavras de amar.
Meu corpo recebe esse refrigério e acalma o aquecer da espera,inerte sobre suaves ondas reflete minha silhueta seminua aguardando o tato de tuas mãos acariciando em um arrepiar ao contato de nossas peles.
O mar me convida e eu aceito...
Deitar-me nessa imensidão procurando por ti,para completarmos os delírios dessa imensa paixão.
Águas dançam junto ao som das saltitantes espumantes,
quebrando-se na areia e voltando para esse reencontro de amantes.
Espero por ti no balançar das águas do mar.
E assim...
Fico perdida para te amar.

Carmen Lúcia-Imagem-Google.


23 de novembro de 2015

Rosas da cor do teu Olhar.

Deixastes para mim,rosas da cor do teu olhar,com  segurança ergo firme para não desfolhar.
Um matizar esfumaçado brinda o perfume que exalo e aspiro sutilmente dos teus beijos depositados em cada pétala...E assim... se vestem como fragrâncias que bailam no ar e me despertam.
Um presente doado,para não esquecer o amor dedicado e por tantas noites apaixonadas com entregas de buquês sobre minhas mãos e o evaporar retido em nossos corpos nos deixando em deleites nesse acariciar nos momentos de amar.
Com a profundidade da pureza que a mim doastes,eu as recolho para lembrar que são rosas da cor do teu olhar...

Carmen Lúcia-Imagem-Google.

19 de novembro de 2015

Ponte da saudade.

Aos poucos começo a me equilibrar,mas não consigo deixar minha face descoberta,e uma nuvem esfumaçada veste a minha solidão.
O desejo aumenta essa inquieta saudade,e faz do meu corpo tua escrava como pedinte ao poder de libertação.
Uma aflição arrepia meus poros e contorna minha pele com fios transparentes,e aos poucos se vestem por inteiro,sendo aderentes e deixando apenas a transparência dessa vivência solitária.
Um sentimento sufocado dentro das entranhas pede para sair dessa clausura imposta como escravidão.
Que o tempo possa expelir da consciência essa 
escravatura e dar a resignação,deixando o meu coração transpor a ponte da saudade,abrigando-se dentro do amor e sorvendo uma profunda paixão...
Sem solidão...

Carmen Lúcia-Imagem-Google.

18 de novembro de 2015

Laços desatados.


Tento recompor essa morbidez através das águas tépidas deslizando com fluidez entre meus pés e o cercar dos igarapés,um sorriso em minha face percebe esse enlace entre o céu e a lua,mostrando estar atenta como seminua ao término do entardecer.
Um convite para amar e viver.
Refaço esse laço,desatando nós e os refaço maleáveis para serem pegos por tuas mãos enlaçando-me em teu corpo,e sentindo o tocar dos lábios sedentos de amor que sempre oferecestes sem medo,mesmo sobre os nós entrelaçados e que hoje...
Esperam-te desfeitos.


Carmen Lúcia-Imagem-Google.

17 de novembro de 2015

Sorvidos pelo amor da paixão.

Aqui nessa relva espero por ti,sei que virás e nosso encontro será entre o entardecer,quando a lua começar a despir-se do céu e um véu a cobrirá até o amanhecer.

Esse frescor da aragem faz meu corpo sentir o voo da liberdade e se junta entre as vestes que me vestem.

Mesmo sentindo esse frio,sou levada como correntezas de um rio a outras margens,esperando a tua chegada...Sem pensamentos de fantasias ou miragens.

Assobios de ventos deixarão o folhar das ramas espalharem-se ao chão para pisarmos sem medo e não fugir dos ruídos,pois seremos sorvidos pelo amor da nossa paixão em todos os sentidos.

Carmen Lúcia-Imagem-Google.

16 de novembro de 2015

Asas feridas.




Hoje sinto ter asas feridas,meu voo sobressai sem medidas.

Sem vestes,abrigo meu corpo.

E com meus braços,vejo se consigo voos,mesmo com asas caídas,para assim...

Atingir o infinito em ínfimos espaços.

Não desejo sentir a perda da conquista e sim
deixar postergar a ferida sangrando,
uma vida apenas sem dor para curar minhas asas e poder novamente voar,
ao 
encontro das palavras de amor.

Desejo voltar nas prosas das palavras do verbo amar,sem asas a sangrar.

Carmen Lúcia-Imagem-Google.


14 de novembro de 2015

O Mundo chora.

Hoje o Mundo chora pelo massacre de tantos seres inocentes na França.

Um bandeira hasteada,pedindo clemência.

Mãos pedintes imploravam pelo cessar fogo,mãos avassaladoras 
empunhavam suas armas,e atiravam sem pensar aos atingidos caídos ao chão.

Gritos confundiam-se com explosões.

Corações amargurados dos parentes à procura dos seus entes.

Uma flor quem sabe desejando 
abrir,mas contrai-se pela dor sofrida.

Quanta dor,quanta revolta!

Oremos por todos.

Por àqueles que se foram,pelos sofrimentos nos hospitais e por àqueles que por determinação, acabaram deixando mortos e flagelados por suas assassinas mãos.

Carmen Lúcia-imagens-Google.



13 de novembro de 2015

O recuo do violino.

Diante de uma palidez sobre folhas não escritas,o violino emudece.

Suas notas tentam recompor a música dos versos,mas elas apenas mostram uma nuance, ao lado do botão triste da rosa perfumada.


Tantas vezes ele tocou e viu suas notas saltitantes em danças ao som da música desejada.


Mas...Algumas folhas das páginas ficaram em branco à espera de mãos ágeis rabiscarem essa arte e deixassem transparecer o sentimento através das dançarinas notas dançantes,ao toque do  nobre violino.

E agora desejando esconder-se por não sentir o tato do dedilhar e por não ver as prosas de amar...

Ele tristemente recolhe-se ao silêncio emudecido,em não ouvir mais os sons emitidos.

Um recuo o faz inerte,e despe-se como as folhas esquecidas das páginas em branco despidas.

Carmen Lúcia-Imagem-Claudinedu1200

12 de novembro de 2015

Uma calma precisa.

Preciso dessa tranquilidade para eximir dos meus pensamentos,lamentos insistentes.

Como águas,desejo fluir naturalmente nesse meu existir.

Como aves necessito voar e sobrevoar sobre o mar não caindo em profundidade e ficar
submersa.

E assim,sem tristezas e muitas certezas,se cair possa emergir com cuidado do naufrágio e das profundezas.

Um sopro apenas,e fará meus pensamentos distanciarem-se,não fazendo parte dessa angústia deixando meu corpo nessa espera inerte.

O sol brilhará,e diante dele farei o pedido para que não saia do meu olhar a luminosidade dos seus raios entrando em minh'alma,iluminando e acalmando essa fragilidade e 
dando-me a precisa calma,com lucidez,sem ficar nessa insipidez.

Uma calma...Precisa.

Carmen Lúcia-Imagem-Claudinedu-1200

11 de novembro de 2015

Príncipe das Águas.

Entrego-me aos teus poderes,e fico submissa a ti e aos teus carinhos.

Dou-te minha face para beijá-la,e minhas mãos para tocá-las,
levando-me aos encantos dos deuses e nos aprofundarmos com noss'almas ao nosso ninho de amor.

Tu chegas como príncipe das águas,desaguando em meu corpo essa sutileza de amar.

Um amar deixando meu corpo frágil e ágil,recebendo os nutrientes ardentes transpondo a inquietação da nossa paixão,como apaixonados e amantes.

Ampara-me em teus abraços,e recebas os meus em eternos laços.

Diante de ti sou princesa,e recebo-te como meu amado,jurando ser somente tua...

E como deusa em vestes com ombros seminus emudeço aos toques dos teus beijos e das águas límpidas,
entregando-me aos nossos desejos...

Sutilmente tímida.

Tu és o príncipe das águas 
levando-me ao êxtase de amar...

E em ti naufragar.

Carmen Lúcia-Imagem-Claudinedu1200

10 de novembro de 2015

Hoje,não sou Cinderela.


Tantas vezes procurei ser Cinderela,entrar na carruagem brilhante,mas de repente,ela se foi como um animal galopante e sumiu junto ao nevoeiro.

Tantas vezes me vesti com bordados cintilantes e fazia rodopios esvoaçantes junto ao meu corpo,mas de repente,em magia rasgaram com um leve sopro.

Tantas vezes vi o castelo como moradia,com aberturas de muralhas para minha entrada,mas 
de repente,as portas fecharam e fiquei triste sem morada.

Tantas vezes as flores sorriam a mim e convidavam-me para sentar-me entre elas e prosear,mas de repente,não as vejo florir e me fazer sorrir.

Hoje,não sou Cinderela...

Sou apenas um ser à espera de uma nova vida,com sonhos e fantasias a serem vividas...

 Sem hipocrisias.

Carmen Lúcia-Imagem-Claudinedu1200

9 de novembro de 2015

Luz do teu olhar.

Nessa imensidão desejo mergulhar meu olhar
e umedecer meu corpo,sentindo em águas tépidas do mar,esse sabor do amor que deixaste em minha boca dos teus beijos,acrecidos de desejos. 

Veste transparente,limitam-se a mostrar um colo desnudo,que por ti espera.

E assim sobre ínfimas ondas que lentamente pousam sobre meus pés,aguardo ansiosa junto a essa quietude vinda através das marés.

O sol desprende-se do céu,dando lugar apenas aos raios,nesse quase entardecer.

Fico atenta observando se há navegação a caminho do porto de abrigo,mas nada vejo,a não serem rochedos circundados por águas,e como eclusas sobem e descem mansamente até beira-mar.


Embevecida nessa ânsia de
 encontrar-te,o brilho das réstias solares iluminam meu olhar à procura dos teus,mas tu deves estar bem longe,atrás do poente,e não verás os meus em lágrimas,nessa loucura de amar-te.

Espero ver...

A luz vinda do teu olhar,quando o luar pratear... 

 Águas do mar.

Carmen Lúcia-Imagem-Claudinedu-1200

6 de novembro de 2015

Somos únicos.


Tocar teus lábios são sentimentos em arrepios.

Tocar tua pele é deixá-la aderir entranhas e dermes. 

Nessa imensidão do mar,nossos toques 
confundem-se com o som das águas,e cada vez mais elas se aproximam a nós com um frio percorrendo nossos corpos em momentos de paixão e amor.


Não sentimos o resfriar nos atingindo,pois nos aquecemos com a luz solar.

Fazemos parte de um só ser,tendo como
invólucro nossas almas nos unindo nesse espaço de viver,somos únicos e ficamos mutuamente juntos 
 em imenso querer.

Desejo te aprisionar e te represar em meus braços,como o infinito mar fica represado entre pequenas rochas,à espera para desaguar.

E como musgos e flores,ficarei agarrada a ti,pois te cobrirei com um manto selado de beijos e desejos.

Juntos ao mar e ao céu,somos únicos...
Para amar.

Carmen Lúcia-Imagem-Claudinedu1200.

5 de novembro de 2015

Vida.


Uma tristeza que chega,e abate um coração.

Tantos planos feitos e agora,só consegue
ficar dentro de uma clausura,e esperar por uma decisão,feito folhas enraizadas,
precisando de um sopro,para sair de arranhaduras,como dentro de um inerte corpo.


Um amargor invade a boca,e um clamor sai por sons desvairados e pedintes para que consiga sair desse temor arrebatando suas entranhas,como um fogo ardente em combustão.

Deseja juntar-se novamente a uma alegria,e poder transcrever versos,sem lágrimas,sem medos,sem rimas,mas com conteúdos passados em prosas,e com caminhos abertos,para gritos e manifestos.

A vida lhe prega peças e tem que aceitá-la,seja como ela apareça,por meios não cabíveis e não desejosos.

Sendo sugada por essa tristeza,em prece ora,o retorno dos momentos prazerosos.

Em fim....Um coração dilacerado à espera...

De alegrias,somadas e divididas com a vida e quem sabe... 

Com novas flores viçosas na longínqua estação Primavera.


Carmen Lúcia-Imagem-Google.

4 de novembro de 2015

Sonhos e delírios de amar.

Esses gestos tão delicados,essas mãos em meu rosto,me levam aos sonhos e delírios de amar e aos momentos dos encontros juntos a ti.

Pelos campos corríamos,e de mãos dadas não temíamos em sonhar acordados.

Teus beijos apaixonados,suavemente os depositavam em minha fronte e diante de ti,eu cerrava meus olhos para receber esse amor sem fim.

Cada vez mais,nos aprofundávamos em loucuras tocáveis aos sentimentos desejosos e prazerosos.

Mas,diante dessa volúpia de amar,um terror começava ameaçar esse doce sonhar.

Ao longe se via uma névoa cobrindo os campos,e anunciando uma tempestade chegando com fúria dos ventos,mas envoltos ao silêncio dos nossos corpos,ficávamos serenos,pois nada
 esmorecia nesses instantes de absoluto querer.

Lúcidos,mesmo quase adormecidos,tentávamos saborear nossos beijos,sem medos.

E assim,tão de repente,tu e eu recebíamos a calmaria dos ventos e o cessar da tempestade,nos mostrando no horizonte,a luz do luar
 nos fazendo um convite para continuarmos com esses delicados gestos de sonhar.

Ah...
Ainda persisto,aos sonhos e delírios de amar.


Carmen Lúcia-Imagem-Google.

3 de novembro de 2015

Presságio Noturno.

Noite em que a lua recebia o reflexo do sol,e deixava transparecer esse medo da despedida.

Pássaros em voos noturnos passeavam entre árvores em sombrios pios,fazendo o temor entrar como erupções de vulcões em dois corações estremecidos por uma separação.

Com braços eretos,o pedido ao firmamento era para esse momento ser límpido,e transparente.

Um desejo preciso...

Dois seres amantes,deixavam naqueles instantes seus corpos separados,para uma viagem.

Seria uma viagem com turbulências navegáveis,para transpor o outro lado do oceano,e tentar viver e sobreviver sem a sua amada.

Mas,com aragens dos ventos soprados,quem sabe seria transportado de encontro aos rochedos e não suportaria deslocar-se desse naufrágio.

E  de repente!

Como presságio,ela pede ao amado não 
refugiar-se e voltar aos seus braços,para novamente entrelaçar seu corpo,e deixar como em um sopro,a despedida voejar,não fazendo parte de suas vidas e de um eterno amar.

Um presságio noturno....

Carmen Lúcia-Imagem-Google.

2 de novembro de 2015

Aprendiz.


Hoje,lágrimas caem e umedecem nossos rostos,mas...

Mesmo  combalidos,procuramos continuar nossos postos com determinação aos ensinamentos,para seguirmos como meros aprendizes.

Sim,digo aprendizes,pois muito ainda temos para aprender o quanto é importante saber plantar e adubar antes da colheita.

Ela será farta se soubermos adubá-la com amor,carinho e doação,digo doação não financeiramente,mas doando caridade de mãos estendidas a um enfermo,ou um copo d'água ao pedinte.

Não precisamos de gritos ecoados para que todos saibam,o silêncio fica marcado e a sabedoria do Mestre saberá,sem necessitar deixar por escrito,o que por nós foi feito e doado.

Ainda há tempo para que possamos nos redimir,transformando em amor,o que algum dia deixamos para trás.

Neste dia 2 de Novembro,comemora-se o dia dos mortos,e temos que lembrá-lo com saudades e sem tristezas,não necessitamos colher flores e ornamentar sepulturas para demonstrar o nosso carinho.

Apenas uma prece será bem acolhedora,principalmente pelo nosso amado Mestre com muito amor e sapiência.

"Eu estou plantando e colherei aquilo que adubei,talvez ainda"...

Faltam adubos para que o fruto seja perfeito,mas como mera aprendiz estou tentando,quem sabe....

Um dia....

"Poderei colhê-los quase perfeitos e os levarei na grande viagem".

Carme Lúcia-Imagem-Google.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Amigos

Amigos

Flores com carinho.

Flores com carinho.